terça-feira, 29 de maio de 2012

CASA COR SÃO PAULO 2012: LUXO, CONFORTO E SOFISTICAÇÃO

Eu ainda não fui, mas as fotos divulgadas hoje pelo site da revista Casa Claudia mostram que a versão 2012 da Casa Cor São Paulo voltou a apresentar sofisticação e muito bom gosto - coisas que, a meu ver, tinham meio que se perdido nas duas últimas mostras paulistanas. Desta vez, criou-se uma casa de campo, com muitos ambientes para você sonhar. De modo geral, não há muita novidade nos materiais empregados, mas dá para perceber uma tendência: laca amarela é a bola da vez. Ela é usada tanto em ambientes infantis quanto adultos, masculino ou feminino.

Também chama atenção o fato de estilistas participarem da mostra. Como Jun Nakao, que idealizou um quarto incrível e cheio de bossa, como ele próprio. Prova que moda e designer passaram já há algum tempo a andar de mãos dadas. E, claro, a sempre chic e elegantérrima Débora Aguiar, que assina o maior ambiente da mostra deste ano, o Quarto Jatobá. No mais, a Casa Cor São Paulo continua grandiosa, glamourosa e muito, muito grande. Abaixo, um pouco do que você vai encontrar por lá.
PS: Eu vou no sábado, 2 de junho. Depois eu conto mais do que vi e percebi.

Casa Jatobá, por Débora Aguiar, arquiteta. Com 300 m², o projeto é dividido em terraço, living, home theater, biblioteca com home office, cozinha gourmet, sala de jantar, suíte máster, banheiro e jardim. Projetado para um casal dinâmico e que adora receber amigos em casa, o espaço traz um mix de cores, compondo os tons marrom da madeira com couros cinza e pretos, além de metais e cores neutras e claras. “O casal é antenado com o mundo e adora viajar e colecionar lembranças de viagem. A casa possui o que há de mais tecnológico, moderno e contemporâneo para garantir o conforto”, diz Débora. Uma imensa lareira horizontal corta todo o ambiente e chama a atenção para a coleção de quadros do casal. O ripado de madeira escura se repete e divide os ambientes. Os visitantes são recepcionados por uma pérgula acompanhada por um espelho d’água que leva ao terraço, com muito verde e integração com a área interna, que tem a suíte máster como destaque com cores neutras e muita sofisticação.

Banheiro masculino, por Alexandra Pandolfo e Larissa Bellinatti, arquitetas. Funcional e agradável, o banheiro foi criado com base em uma das paixões masculinas: o automobilismo. A bancada de granito da pia, por exemplo, tem três desníveis que simbolizam o pódio. Pneus de kart se transformaram em vasos de plantas e trazem a natureza para o ambiente. Há ainda paredes revestidas de vidro com imagens de carros de Fórmula 1, o mesmo tema usado nas figuras adesivadas nas cabines. A tinta cinza metalizada presente na alvenaria reforça a ideia do masculino. Toda a iluminação é feita com LED. Pensando na sustentabilidade, os mictórios não utilizam água. A limpeza é feita por meio de um pó higienizante, que também perfuma a área. As torneiras Touch, da Deca, com acionamento por toque, tem o funcionamento interrompido após oito segundos de vazão de água, evitando assim desperdício. Os vasos sanitários permitem acionamento de descarga com 3 e 6 litros.

Banheiro Unissex Caleidoscópio, pela arquiteta Crisa Santos. Com programação visual apurada, o ambiente revela uma miscelânea de mosaicos de vidro, que surge numa paginação convencional no piso e se pulveriza em inúmeras cores à medida que avança pelas paredes das cinco cabines espalhadas pela área de 38 m². Entre elas, espelhos normais dividem espaço com espelhos que distorcem a imagem, provocando surpresa e diversão aos usuários. Dispostos em forma de labirinto e fechados por divisórias que não vão até o teto, os boxes com os sanitários parecem soltos da alvenaria. Os mosaicos de vidro que cobrem as paredes pertencem à linha Transições, da Vidrotil. São peças de fornadas intermediárias entre as cores padrões da empresa, que até então eram descartadas e agora chegam ao mercado como mais uma opção de revestimento sustentável. De madeira laqueada, os totens que sustentam as cubas de cerâmica trazem lixeiras embutidas em suas laterais.

Sala de Leitura, por Bya Barros, arquiteta. A sala de leitura tem um ar de descontração, mas não deixa de imprimir o gosto pelo luxo e pelo requinte. “Um ambiente de relaxamento com aconchego, fazendo uma interação entre o clássico e as novas formas de linguagem visual”, resume a arquiteta Bya Barros. A maior inspiração para a escolha dos móveis que fariam parte do espaço foram as criações do estilista americano Ralph Lauren. “As tachas dos sofás, bem maiores que as que vimos por aqui, são um exemplo da minha inspiração”, conta Bya. O painel colocado na parede detrás do sofá é uma impressão digital do trabalho do artista plástico Eduardo Kobra, conhecido pela criação de murais e grafites nas ruas de São Paulo. Os livros estão em tamanho desproporcional e bem maiores que o real. Uma escolha da arquiteta, que aposta nas dimensões aumentadas como tendência na decoração.

Espaço kenzo, por Jóia Bergamo, designer de interiores. O estilista e designer de interiores japonês Kenzo Takada foi a inspiração deste ambiente de 160 m2, dividido em um living que se integra à suíte e ao bar. Homenageando a cultura oriental, lindas estampas de cerejeiras desfilam pelos papéis de parede e pelas almofadas – criadas por Kenzo – e imagens adesivadas de gueixas aparecem em painéis laterais. O grande tapete vermelho e preto é uma das estrelas do living, que conta com amplos sofás em tons de cinza e lustre de cristal branco. Toques de laranja nas peças de decoração dão leveza ao espaço. Ao fundo do ambiente, um grande painel de laca preta e um requadro de papel de parede cinza marcam o espaço da cama, modelo Beka, com cabeceira também laqueada de tom escuro. Estrutura de aço corten divide living e quarto. Ali, fica a lareira, que aquece os dois ambientes. Na entrada, um painel de cobogó recepciona os visitantes.


Café e doçaria, pela designer de interiores Rosane Aguiar. Móveis de ferro fundido, grades de serralheria artística e esculturas das deusas das estações dão o clima na área externa deste café, que fica rodeado por um jardim de flores nos tons de amarelo, branco, lavanda e laranja, numa referência ao pintor francês Claude Monet. Do lado de dentro do prédio, cuja fachada é uma releitura das antigas construções europeias, o ambiente exibe piso de granito e um luxuoso lustre de estilo clássico feito de ouro e cristais Swarovski. Puxadores de armário cromados são utilizados no teto fazendo as vezes de luminárias. A fachada é iluminada por um sistema de LED que cria cenários diferentes, reproduzindo a luminosidade do luar e do pôr do sol. Uma escultura em forma de bicicleta, produzida com ferro, acomoda diversos vasinhos de flores em sua estrutura.


Casa da montanha, por Cynthia Pimentel Duarte, arquiteta. Para curtir o frio das regiões altas do país, a arquiteta sugere este canto de lareira. “Preferi investir nos tons claros. Eles estimulam alegria, sentimento que precisa ser cultivado nos dias nublados”, fala Cynthia. As poltronas de tecido nobuck marrom desgastado ficam bem pertinho do fogo, com grelha embutida no bloco central da bancada de granito preto. O tapete de pele de vaca aquece o piso e a mesinha de laca laranja dá um toque de cor ao ambiente. Quadro da artista plástica Vania Barbosa enfeita a parede. A estante de madeira freijó tem montantes de aço inox . Ele se divide em três partes, oferecendo muito espaço para livros e objetos queridos. Veja com o a arquiteta consegue criar um ambiente contemporâneo com peças metalizadas e paredes brancas, mas também aconchegante com o uso do couro e da pele de vaca.

Quarto do casal casa de campo, por Tota Penteado, designer de interiores. Um ar de aconchego permeia o espaço dividido por uma ampla bancada com divisória de vidro, onde são projetadas as imagens da TV. De um lado, a cama do casal, que recebeu colcha na cor azul-marinho, mesmo tom usado na barra do xale da cortina branca. Para proporcionar conforto à leitura noturna, pendentes de cobre ficam instalados sobre a mesa lateral branca. No espaço há ainda um pequeno escritório que aproveita a bancada como mesa de trabalho. Ali, um sofá de linho bege e uma estante de nichos quadrados completam a ambientação. Todo o piso é revestido com um carpete bege de fibras naturais. Para garantir ainda mais funcionalidade e conforto ao espaço, entre a cama e a chaise há uma divisória de vidro espelhado fixada no forro e encaixada no carpete. Assim, quem assiste a TV não atrapalha quem relaxa na chaise.

Jardim da saída, por Sara Palamoni, arquiteta, Meire Lemes, designer de interiores, e Felipe Mascarenhas, arquiteto. Distribuídos por 200 m², dois grandes lounges recebem os visitantes que esperam a chegada de seus carros. Estrutura de pínus autoclavado de reflorestamento e cobertura de vidro compõem os ambientes, decorados com móveis de madeira de demolição de traços contemporâneos. Jardins verticais cobrem as paredes, enquanto canteiros revelam as quatro estações do ano. Aqui, vemos o canto da primavera, montado com bromélias, primaveras e manacásda-serra. “Escolhemos plantas nativas que florescem em épocas diferentes”, fala Felipe. O deque de eucalipto autoclavado foi paginado na horizontal e na vertical. Uma forma de delimitar os espaços apenas visualmente. O jardim vertical é feito por inúmeros vasos que levam duas espécies de tradescância, cada um com seu sistema de irrigação programado automaticamente. Uma forma de economizar água.


Quarto da jovem, por Marilia Caetano, designer de interiores. Seguindo a tendência da mescla de etnias, Marilia usou nas laterais da parede de cabeceira um tecido que reproduz a tapeçaria mexicana. Já o banco desenhado por ela recebeu forração de tecido com estampa africana (ikat). O tapete é oriental, um patchwork feito de vários kilins. A cama revestida de jeans fica encostada na faixa da parede pintada de azul-marinho, que contrasta com as demais paredes em tom coala. “Essas cores estão entrando agora na decoração e prometem bom futuro”, argumenta a profissional. Quadros coloridos de Isabelle Tuchband tornam o espaço ainda mais belo. Para trazer aconchego e disfarçar o pédireito alto de 2,80 m, o teto recebeu vigas estreitas de MDF forradas de papel de parede que imita madeira. O piso apresenta tábuas de madeira canadense que chegam prontas para instalar no sistema macho e fêmea.

Cozinha de campo, por Cláudio Porsé Cleis, arquiteto. “Criei um espaço onde o aconchego da casa de campo pudesse ser mantido, porém sem abrir mão da praticidade que a cidade oferece”, diz Cláudio, que buscou a integração entre os dois mundos como proposta básica para a concepção deste projeto. Para isso, lançou mão de eletrodomésticos modernos e móveis que primam pelo conforto. Mesmo com as escolhas contemporâneas, o clima de uma casa típica do interior não foi esquecido e está bem representado nos acabamentos rústicos, como o tijolinho à mostra e o piso de cimento queimado, e no mobiliário simples. Repare em cada nicho iluminado do ambiente. Com um olhar mais minucioso, será possível encontrar diversas peças de cerâmica assinadas por Ailton Ribeiro. A mesa acoplada à ilha gourmet é um dos destaques do ambiente, a base é feita com tronco de pau-amarelo pela Tora Brasil.

 Loft no campo, por Selma Tammaro, arquiteta. A profissional transformou uma das pequenas casas destinadas aos antigos funcionários do Jockey Club, hoje tombadas pelo Patrimônio Histórico, num atraente e moderno loft para um rapaz de 30 anos. Como as paredes internas não eram originais, Selma derrubou todas – exceto a do banheiro – e integrou os espaços. O madeiramento do telhado foi restaurado e pintado de branco. Para realçar os traços arquitetônicos, as tesouras receberam tinta preto-carvão. A decoração investe em luxo e descontração, com mobiliário de design revestido de tecidos e materiais rústicos. Sobre quatro mesas laqueadas de branco, a lareira ecológica de ferro e aço escovado se destaca no centro do ambiente. Abastecida com biofluido, a peça não emite gazes tóxicos e tem regulagem de chama para controlar a intensidade de calor. O tapete kilin responde pelo colorido do espaço. Seus tons de azul e amarelo seguem tendência da última Feira de Milão, que apresentou essas tonalidades em novas nuances.
Quarto do menino, por Rachel Milre, arquiteta. Um adolescente apaixonado por golfe e que adora frequentar a casa de campo da família. Para esse perfil, a arquiteta Rachel Milre pensou o quarto do menino com direito a uma confortável sala de estar onde ele relaxa depois das partidas de jogo e recebe os amigos e familiares. O amplo sofá repleto de almofadas, a poltrona de linho cru e o tapete kilim bege promovem uma atmosfera de aconchego reforçada pela iluminação intimista e pontual. Como mesa de centro, o velho e bom baú reedita os seus encantos. Tábuas de demolição usadas no piso revestem uma das paredes, promovendo um cenário acolhedor e um bonito efeito visual. Não aparece na foto, mas vale a pena conferir a lareira embutida na divisória de drywall entre o living e a área de dormir. Veja como a arquiteta consegue deixar o ambiente ainda mais confortável usando a pele de carneiro em alguns detalhes.
Garagem Loft, por Francisca Reis, arquiteta. Um novo conceito de morar com o carro estacionado dentro de casa, muito em voga em Nova York, é o mote do projeto. Aqui, garagem, living, sala de jantar, cozinha, quarto e banheiro convivem num único espaço. Para aquecer o ambiente, o piso é de madeira de demolição e as paredes mesclam pintura branca, papel de parede cinza-claro e painel de nogueira. O living, com lareira, é decorado, entre outros itens, com poltrona de couro caramelo e com um dos ícone do design moderno, a cadeira Molded Plywood, assinada por Charles e Ray Eames. A composição despretensiosa das fotos de Beto Riginik, em tamanhos diferentes, dá dinamismo visual ao ambiente. Repare como os quadros menores se inserem no conjunto, ocupando todos os espaços da parede. Com 7 m de comprimento e 45 cm de profundidade, a bancada de madeira nogueira avança até a lareira. Prateleiras abertas e nichos fechados compõem o modelo do móvel.
Concept Hall Deca, por David Bastos, arquiteto. “Vivemos em um país tropical, portanto a busca pelo bem-estar, mais do que nunca, é o ponto inicial de toda a decoração”, diz David. Para isso, o arquiteto preservou a ventilação natural, criando painéis de madeira ripada que, além de fecharem os ambientes parcialmente, permitem uma visão geral de todo o local. “É um espaço amplo e acolhedor, com áreas de SPA, banho e massagem. Notamos que as pessoas passaram a dar mais importância a tudo isso”, pontua. Para o profissional, a sensação de liberdade é a grande protagonista de seu projeto, que garantiu claridade natural para valorizar o conjunto. O hall é amplo e está dividido em diversos ambientes, mas dê atenção especial ao SPA, no terraço lateral. As lareiras ecológicas aquecem e iluminam as macas para massagem durante a noite. Você pode conferir lançamentos para banheiro e cozinha. Todos com válvulas especiais para economizar água e opções com acionamento automático. Entre as novidades, a linha Sense, com torneiras que acionam com o simples toque da mão.





Praça casa cor - homenagem a Gisele Bündchen, por Beatriz Fernandez Mera e Eduardo Fernandez Mera, arquitetos e paisagistas. O espaço de convivência foi concebido como uma forma de homenagem a Gisele Bündchen, um expoente nacional no mundo da moda. Uma escultura criada especialmente para a mostra pela artista plástica Bia Doria traz a imagem da modelo estilizada. Outro ponto importante é a iluminação cênica para criar um espaço que une a moda ao paisagismo: “Essa sintonia e influência estão presentes em todos os detalhes, mobiliário, iluminação, tendência, cores, contorno e sustentabilidade”, diz Eduardo. A escultura assinada pela artista plástica Bia Doria representa uma mulher em tamanho real. Toda a estrutura da peça é feita de madeira certificada. Além da área de convivência, a praça está preparada para receber desfiles a céu aberto, cujo ponto de apoio para os expectadores serão lounges espalhados estrategicamente pelo espaço, garantindo a mesma vista para a passarela.


Suíte da menina, por Luis Pedro Scalise, arquiteto. O filme Valente, da Disney, que será lançado ainda este ano no Brasil, é a inspiração do arquiteto para a decoração da suíte da menina. O ambiente reproduz um castelo escocês, com direito a parede de pedras, paisagens e figuras de animais. Tudo pintado a mão. “O que vemos foi inspirado no sistema feudal dos celtas, e traz referências das lendas de dragões e rosas silvestres”, conta Luis. Para chegar ao banheiro, uma passagem secreta foi criada dentro do armário. Um mundo lúdico dentro da mostra. Um gazebo de ferro de grandes dimensões, que não aparece na foto, faz parte da decoração inspirada no desenho infantil. Além dele, uma sela de montaria substitui o acento da cadeira que serve à penteadeira. Os tapetes quadriculados da Tapetes São Carlos foram confeccionados exclusivamente para a mostra. O desenho traz o conhecido xadrez escocês em cores extraídas do longa-metragem Valente, da Disney Studios.

Loja gourmet, por Marí Aní Oglouyan e Rubens Ascoli, arquitetos. O mosaico de pastilhas vermelhas no fundo do ambiente salta aos olhos, desenhando sutilmente eletrodomésticos da Kitchenaid. “A loja tem a intenção de ser um local de experimentação gastronômica, com espaço até para aulas e evento”, diz Marí Aní, que iluminou os nichos da cozinha com luzes de xenon para valorizar o design da marca usada como tema da decoração. Para receber os visitantes com muito conforto, há balcões, vitrines e bancadas espalhadas por todo o ambiente. “Reproduzi o aconchego de uma residência, com madeira para aquecer o tom de concreto”, finaliza. A bancada cor de concreto executada pela Montblanc Mármores aparece com espessura fina, bem diferente do que se tem visto nos últimos anos. Além disso, traz cuba dupla de inox. O piso de porcelanato da linha Active, da Graniti Fiandri, é outro destaque. Sua composição com titânio ajuda a eliminar o gás carbônico do ambiente e os odores desagradáveis.


Livraria, por Gustavo Paschoalim, arquiteto. Mais do que vender livros e revistas, o espaço é um estímulo à leitura, com sua proposta de biblioteca. Em estantes com revestimentos variados, os exemplares ganharam disposição despretensiosa em prateleiras de 45 cm de profundidade. Sobre o piso rústico de peroba de demolição, mesas expositoras e pequenos lounges com poltronas confortáveis convidam a parar, folhear e passar um tempinho lendo. A iluminação automatizada, regulando a intensidade conforme a área e a ocasião, também contribui para o bem-estar dos frequentadores. As prateleiras em balanço vestidas de lona de caminhão reciclada inauguram um visual novo para estantes. Vazada, esta peça deixa ver a parede ao fundo, pintada com textura que imita cimento queimado.






Family room, por Camila Klein, arquiteta. Com o olhar voltado para o mundo fashion, a arquiteta buscou inspiração em referências mundiais para criar um ambiente para ser aproveitado por toda a família. “Uni itens de vanguarda com cores sóbrias, propondo um ambiente rico em texturas e sensações”, pontua a arquiteta Camila Klein. A grande brincadeira é o jogo de opostos, entre o preto e o branco, o escuro e o claro, o quente e o frio, o moderno e o tradicional. “Além disso, apontamos o hit da estação, os tons metalizados”, conclui a autora do projeto. O banco de mármore piguês é a grande atração do espaço. A pedra levemente translúcida tem iluminação embutida. Atrás dos futons, uma lareira ecológica decorada com seixos brancos. O papel de parede metalizado, lançamento da Espaço Paper, mimetiza desenhos em três dimensões e dá a impressão de movimento e volume. O revestimento da Oca Brasil completa a sensação, já que traz pequenos quadrados com espessuras irregulares.


Biblioteca, por Clélia Regina Angelo, arquiteta. “Um ambiente para reunir a família”, descreve a autora deste projeto. Claro, bem iluminado e abastecido de móveis aconchegantes, o espaço é realmente um convite para ficar à vontade. Percorrendo a parede de 20 m de extensão, a grande estante de MDF branco texturado provoca dinamismo visual, com seus nichos de 40 cm de profundidade, cada qual de um tamanho, abrigando desde objetos pequenos até uma lareira de pedra. Irresistíveis chaises de tecido cru garantem boas horas de leitura. Divertido e original é o papel de parede estampado de jornais dobrados dos, tema apropriado para a biblioteca. Atrás da estante solta da parede, um tecido de algodão com estampa de samambaias provoca efeito relaxante. As fitas de LED embutidas nas prateleiras realçam a beleza do revestimento. Para amenizar o predomínio da tonalidade branca e deixar o espaço mais descontraído, a mesa foi laqueada em um matiz tangerina.



Living, por Brunete Fraccaroli, arquiteta. Um leque surpreendente de cores captura o olhar na sala apresentada pela arquiteta Brunete Fraccaroli. Amarelo, laranja e vermelho dialogam num cenário alegre e acolhedor. As paredes misturam pastilhas de vidro, ao fundo, e espelho fumê, na lateral. No piso de assoalho, o grande tapete de couro e linho setoriza esta parte do estar, decorada com sofá de couro e poltronas e pufes de linho. Destaque para a poltrona em formato de trono, de laca e veludo num vibrante tom grená. A escultura Welcome Guest, de fibra de vidro sobre base de mármore, diverte ainda mais a composição. Iluminação da La Lampe e mobiliário da Kare. Uma sucessão de fios de Lycra dourados costurados numa estrutura de metal forma a luminária importada da Alemanha. Com 1,91m de altura e 74 cm de largura, a peça, para oito lâmpadas de 40 W, proporciona um belo efeito tramado de luz.



Quarto do bebê, por Mayra Lopes, arquiteta. Conforto, beleza e segurança se aliam no ambiente projetado para a filha da apresentadora Daniela Albuquerque. Todos os móveis foram desenhados sem quinas nem cantos. O berço tem design espanhol, mas segue rigorosamente as normas brasileiras do Inmetro. Monitorado via iPad e iPhone, o espaço conta com sistema de automação de luz, persianas e som, além de câmeras com infravermelho, que captam imagens noturnas. O painel fotográfico assinado por Suzi Benedek mostra uma composição de várias fotos da homenageada. Poltronas Egg de veludo em tom chiclete. Compondo as estantes, os nichos coloridos laqueados de 40 x 40 x 40 cm têm desenho do artista plástico carioca Rúdi Sgarbi, que se inspirou nas famosas bandeirinhas de Alfredo Volpi. Dentro do berço, os protetores são feitos de espuma flocada, o que torna o produto antissufocante para o bebê.


Suíte do menino, por Gerson Dutra de Sá e Ana Lucia Salama, arquitetos. Para o garoto apaixonado por boxe, um quarto com direito a ringue e muitas fotos de Andreson Silva o mais importante lutador brasileiro de UFC da atualidade. A área de treino é delimitada pelo tatame emborrachado em tom de azul e pelo saco de boxe fixado no teto. Painéis ripados de laminado plástico com aparência de madeira marcam o espaço da cama e o canto da TV. As demais paredes receberam papel que faz alusão ao filme Rocky: Um lutador, grande sucesso de bilheteria de meados dos anos 1970. O banheiro revestido de pastilhas de vidro é isolado por portas de correr, mas o boxe fica visível do quarto graças ao fechamento feito com vidro em tom de azul-turquesa. Uma persiana pode ser acionada caso se queira privacidade. O piso de porcelanato, com aparência de tábuas corridas de madeira de demolição, facilita a limpeza e dá liberdade ao adolescente de praticar seu hobby com os amigos.





Saleta íntima, por Flávia Geral El Tayar, arquiteta. A mélange de peças contemporâneas e de antiquário, quase todas do século 19, dá personalidade a esta sala criada em homenagem à jornalista e empresária Constanza Pascolato. Respeitando a origem italiana da protagonista do ambiente, a profissional seguiu a arquitetura de interiores daquele país. Usou boiseries de madeira laqueada nas paredes, madeira maciça de demolição no piso e lareira clássica de mármore sivec. As estantes altas (3 x 1 m), com laca preta brilhante internamente, refletem a paixão que Constanza tem pela leitura. Sobre a lareira, os espelhos franceses de 1880, colocados um sobre o outro, exibem graciosas molduras de marchetaria composta de figuras geométricas. O sofá de linho de linhas retas, braços baixos e estrutura de metal segue tendência contemporânea. Já as cadeiras com assento de couro italianas seguem um design mais clássico, mas trazem um estilo que nunca sai de moda.

Suíte master, por Ana Bartira Brancante, arquiteta. As cores suaves e os materiais quentes conferem ao quarto do casal o clima ideal para o romance e relaxamento. Desenhada pela autora do projeto, a cama foi vestida com tapeçaria. O tecido é especial, passou por um processo diferenciado de impressão para obter a estampa listrada. Com cabeceira alongada, a peça recebe os criados-mudos laqueados de preto fosco e se prolonga até a bancada de trabalho. No mesmo material das mesinhas laterais, a estante faz fronteira com o painel de laminado de madeira do banheiro, que isola o dormitório. Para dar apoio à bandeja, livros e peças de roupa, uma das laterais da cama oferece espaço livre lateral de 80 cm. Medida apropriada para pequenos e grandes espaços e que atende perfeitamente às necessidades dos usuários. De grandes dimensões, o quadro de pintura bem colorida, criado pelo artista plástico Eduardo Kobra especialmente para o ambiente, reforça a solução que a arquiteta procurava de levar mais descontração ao espaço.

Lobby do banheiro social, por Maria Claudia Mastrangello, designer de interiores Pricila Bertan Saraiva, arquiteta. Um painel vazado divide os banheiros do lobby, criando um interessante efeito de luz e sombra. Ao projetar dois ambientes, as profissionais conseguiram reservar um espaço apenas para a espera e descanso dos visitantes. Toda a ambientação tira qualquer impressão de ser uma área funcional da mostra e traz ares de sala de estar ao local. Elementos de decoração prateados completam a cena marcada pelos contrastes entre as nuances de brilho e de fosco. “Misturei materiais com diferentes texturas e brilho, como a mica bronze, a seda e o veludo”, diz Maria Claudia. O piso do lobby parece um tapete. Seus recortes peça por peça montam de forma exclusiva uma releitura das estampas lançadas pela Prada na coleção Inverno 2012. Uma inovação que garante mais sofisticação e elegância ao espaço. As cubas de tom marrom fosco, com desenho retangular, têm caída de água invisível. Um lançamento da Deca apropriado ao local, que aposta em soluções inovadoras e arrojadas na decoração e também na arquitetura.

Sala de almoço, por Sabrine Santos, arquiteta e designer de interiores. A simetria dá o tom neste espaço onde nada fica 1 milímetro sequer fora do lugar. Sabrine tirou partido das proporções ao centralizar a mesa de jantar de madeira com acabamento de laca preta entre dois nichos espelhados e com prateleiras para apoiar o serviço do jantar. Para trazer conforto ao olhar, ela lançou mão de outro aliado da decoração: criar unidade visual entre os elementos do ambiente. O viés dessa escolha está nos tons e nos materiais que se estendem do piso ao teto. Os lustres de Murano preto comungam elegantemente desse instigante jogo de simetria. Como uma onda, a mesa de madeira de laca preta sobe pela parede, reveste uma faixa do teto e finaliza na altura da borda da mesa, compondo um bonito jogo de cena. A TV de LED fica a postos como uma tela apagada. O tapete, além de assumir a função original de cobrir o chão, sobe a parede, fazendo as vezes de painel decorativo.

Joalheria, por Giselle Macedo e Patrícia Covolo, arquitetas e designers de interiores. A atmosfera chique, elegante e contemporânea foi conquistada por meio da escolha correta das cores. A começar pelo preto, que se exibe nos nichos de MDF, onde as joias ficam expostas, e nas poltronas revestidas de seda plissada pelo estilista Leonardo Chiasso. O cinza também entra na composição cromática, se destacando nos papéis de parede e na pintura do teto. Já o amarelo está presente na mesa lateral de laca, adornada com vasos de vidro. A pequena mesa Tulipa, do designer finlandês Eero Saarinen, se destaca na área de descanso. Os balcões de atendimento executados com laminado padrão madeira palissandro-bahia, com certificação FSC, têm design diferenciado. Caixas de vidro brotam no tampo e a transparência valoriza as peças de joalheria. As colunas são revestidas de tijolo Ecobrick, um material ecológico feito de poliuretano, 100% reaproveitado, que trouxe aconchego e também contemporaneidade ao espaço.





Estúdio do jovem, por Leonardo Junqueira, arquiteto. Idealizado para um homem de 30 anos apreciador das artes e do bom design, o ambiente parte de uma base neutra para valorizar as obras e o mobiliário. Painéis de carvalho tingido cobrem parte das paredes da sala e as molduras dos pórticos, que levam aos demais espaços do estúdio. O sofá de linho italiano faz conjunto com as mesinhas redondas – uma de mármore calacata e outra de resina com tampo de vidro. Acompanhando os tons claros, o tapete tribal traz a maciez da lã de carneiro. Cortina de poliéster veste a grande janela original do Jockey Club. Para compor um visual atraente, o painel de carvalho tingido foi montado de acordo com os veios da madeira para formar uma composição de losangos, que escalam a longa parede, do piso ao teto. Quadros de técnicas e tamanhos diversos preenchem as paredes acima dos pórticos. A distribuição vai até o teto, 4,50 m acima do piso. Além de ser uma solução que aproveita o alto pé-direito, atrai também os olhares para cima.

Lavabo, por Rafael Del Persio Junior, decorador. A atmosfera alegre e luminosa das discotecas dos anos 1970 inspirou o decorador a projetar este lavabo unissex. O visual das casas noturnas da época está presente nas faixas em tom de rosa e de preto de 60 cm de largura, que se repetem por todo o ambiente. Elas começam na bancada de gesso acartonado protegido por placas de vidro e se prolongam até o teto. Atrás das cubas, espelhos, também de 60 cm, entremeiam o listrado da parede. Peças de porcelanato de 80 x 80 cm revestem o piso. Lâmpadas dicroicas reforçam a proposta lúdica do espaço. Por meio de espaçadores de metal, as placas de vidro ficam levemente afastadas da bancada de 5 m de comprimento e 70 cm de profundidade. Além de isolar o gesso acartonado da umidade da pia, o recurso proporciona efeito óptico interessante. A iluminação pontual sobre cada cuba traz o conforto visual que cada usuário do espaço necessita e imprimi características cênicas ao lavabo.

Lavanderia, por Andrea Vasconcelos e Laila Sá, arquitetas e designers de interiores. Uma atmosfera futurista e de estilo multicultural caracteriza o espaço. Pessoas de diferentes etnias foram grafitadas pelo artista plástico Schock em uma das paredes, enquanto alguma delas ganhou revestimento de grandes placas de porcelanato que imita metal e outra com pastilhas de aço inox. Fugindo do estereótipo do ambiente de serviço, as profissionais usaram LEDs para iluminar prateleiras e armários de vidro e espelho. A ilha central tem tampo projetado para passar roupas. Não aparece na foto, mas não deixe de ver a porta feita de fibras de madeira, que funciona também como painel quando fechada. Ela exibe diversas palavras, como pensamento, tecnologia e etnia. O piso Ecotile é feito com 75% de material reciclado, entre eles borrachas de pneus usados e plástico de garrafas PET. Tem superfície polida, alta resistência mecânica e não mancha. Ideal também para ambientes de alto tráfego


Home theater, por Andrea Teixeira e Fernanda Negrelli, arquitetas. Em tons de bege e num clima de romance, o home theater criado pela dupla acomoda dois ambientes para receber a família toda ou apenas o casal. A prioridade do projeto foi garantir conforto para as horas de lazer, por isso o piso sob o sofá ganhou alguns centímetros para que as pessoas fiquem na mesma altura do telão e os futons colocados nas laterais têm espuma especial. “Além do conforto, o desnível também ajuda a criar a atmosfera de um cinema, já que o telão tem 106 polegadas”, diz Andrea. A versatilidade é outro ponto indispensável. Para o dia a dia, há uma TV fixada na parede lateral. A mesa de centro, feita de limestone, tem uma lareira ecológica da EcoFire. A peça é maciça e para os dias menos quentes pode ser decorada apenas com velas. Veja de perto os novos tons usados na marcenaria planejada do ambiente. O tingimento de carvalho clareado é lançamento da Definitiva Móveis feito exclusivamente para a mostra.


Copa da estilista, por Isabela Augusto de Lima, designer de interiores. Estilista e mãe, a personagem que inspira este ambiente encontra aqui seu lugar para fazer pequenas refeições e realizar alguns trabalhos. Em nome do requinte, o bronze é a cor predominante e da inovação, um grande painel de vidro exibe adesivos com o nome de estilistas brasileiros famosos. O mobiliário compõe um espaço de estar, com sofá de dois lugares, mesa de cristal preto para apoiar o laptop e um armário de laca branca que abriga a louça. Há ainda um cantinho de brincadeiras para a filha da estilista, onde figuram charmosos móveis infantis. Aparador espelhado com adesivos das mais renomadas marcas do mundo da moda – não aparece na foto, mas é algo que merce ser visto. Uma customização bonita e fácil de fazer. Placas de cerâmica, de 30 x 30 cm, de cor vanila e dourada, revestem algumas das paredes, confirmando o conceito luxuoso, uma das apostas do projeto de interiores. Além disso, o contraste das duas cores provoca um interessante desenho na parede.

Cozinha gourmet, por Beatriz Andreazza Morbin e Caio Andreazza Morbin, arquitetos. Para um casal com filhos, adepto da dieta alimentar Detox, que visa uma alimentação desintoxicante, a dupla concebeu uma cozinha onde um bloco de marcenaria revestido de laminado padrão concreto concentra eletrodomésticos e horta orgânica ao alto. Ele ocupa a parte central, mostrando que ali é o coração da casa. A bancada de corian à frente é reduto do chef da casa, munida de cooktop e pia de apoio. No piso foi usado pastelone e nos rodapés altos, stucco marmorino veneziano, ambos revestimentos italianos à base de pó de mármore e cal. Para abrigar a horta, a parte alta do módulo central tem um nicho com 25 cm de profundidade revestido de material plástico para proteger a marcenaria da umidade das regas. As ervas são acessadas por uma escada na lateral do móvel, de 2,20 x 2,20 x 2,20 m. Papel com efeito de pastilhas veste as paredes superiores e fazem um belo contraponto com o papel liso marrom usado na outra metade da parede, a partir do piso.

Home bar, por Aquiles Nícolas Kílares, arquiteto, e  Iara Kílares, designer de interiores. O conceito de uma bandeja flutuante e iluminada para acomodar copos e taças foi o ponto de partida da dupla. No centro do ambiente, a peça desenhada pelo arquiteto é o que mais chama a atenção: “Criamos um bar aconchegante, onde as pessoas sentam em poltronas confortáveis e não em bancos. Nem sempre o design exclusivo e diferenciado é trabalho de profissionais estrangeiros. Temos muitos exemplos de peças com qualidade criadas para clientes específicos”. Para a decoração, Iara se inspirou na moda para misturar vermelho, branco, preto e cinza. A bandeja, desenhada exclusivamente para a mostra, está em uma estrutura de mais de 3 m de altura, equilibrada por uma base de chumbo e quartzo. O desenho do painel no bar faz referência a um pingo de água numa superfície lisa e pode acomodar centenas de garrafas. O traço orgânico é uma das características mais fortes do trabalho da dupla.


Ingo Maurer – Making Light, por Ingo Maurer Designer. Pela primeira vez na Casa Cor, um mestre da iluminação mundial conta com um espaço para apresentar suas criações. Nada menos do que o poeta da luz, o alemão Ingo Maurer, preparou uma instalação numa área de 45 m² onde expõe cerca de 15 peças suas. Todas vindas diretamente de seu estúdio, fazem parte da mostra a Alliz T. Cooper, a Moszzkito, a Zettel’s, a Holonzki e a Johnny B. Butterfly, entre outras, como mostra o croqui assinado por Ingo.


Sala de jantar, por Letícia Ruivo, arquiteta. Para aproveitar a amplitude da sala de jantar, Letícia apostou na decoração feita em tons claros e muita sofisticação. “O foco é trazer movimento e alegria ao ambiente, tendo a cortina verde como aliada para garantir mais harmonia”, conta a profissional, que compôs a sala com duas mesas brancas unidas por uma peça de limestone Mont Charmot, feita sob medida pela Marmobello. “Criamos algo contemporâneo, com leveza e suavidade, promovendo o aconchego com escolhas discretas de brilho e luz, mas com elementos marcantes”, completa. O protagonista da cena é, certamente, o imenso lustre de cristal Baccarat, da Began Antiguidades. Instalada bem próximo à mesa e perto dos olhos dos visitantes, a peça revela detalhes dignos de uma verdadeira obra de arte. A cortina branca e outros elementos são feitos artesanalmente de tricô, crochê e renda de filó. Uma mistura de história e tradição com o requinte da decoração.


Jum Nakao, por Jum Nakao, estilista. Uma revoada de pássaros de origâmi, feitos com técnicas orientais de dobradura, invade o quarto projetado pelo estilista, que abusou dos tons terrosos. “A proposta é trazer as sensações de um bosque durante o outono. As paredes contornam o espaço como se fossem a bruma na noite”, ressalta Jum. Graças a uma projeção de imagens indireta na cortina branca que envolve o quarto, a experiência será ainda mais real. “Ao atravessar o ambiente, mudamos de estação. Cristais suspensos parecem gotas congeladas pairando no espaço. Ao olhar para trás, já estamos no inverno”, completa. Os ikebanas, origâmis e as imagens projetadas na cortina foram inspirados na cultura oriental. Para a confecção de cada peça, a equipe estudou conceitos de arte e história para desenvolver desenhos exclusivos. O espelho instalado atrás da cama é um bonito vidro laminado da Guardian. Um dos elementos responsáveis pela mudança do outono para o inverno.

Terraço gourmet, por Josiane Ximenes, designer de interiores. Logo na entrada, percebe-se o mote do projeto: uma homenagem ao joalheiro José Carlos Guerreiro. Suas fotos desfilam pela parede retratando desde a época em que era modelo do estilista Dener Pamplona de Abreu até hoje. Pintadas de cinza metalizado e dourado, as paredes remetem aos materiais com que Guerreiro trabalha – o ouro e a prata. Nesse contexto se destacam o lustre de ferro e cristal e o sofá de veludo preto, posicionado estrategicamente para apreciar o skyline a partir do Jockey Club. O espaço conta ainda com living e cozinha. Ao passear pelo ambiente, vá até a área gourmet, que não aparece na foto, e aprecie o teto, revestido de 28 espelhos, de 75 cm de diâmetro, instalado entre as luminárias em formato de margarida. Apesar de não aparecer na foto, repare na estampa de caveira que reveste o pufe e decora a batedeira Kitchen Aid da área gourmet. O desenho é uma referência a um dos elementos que o joalheiro usa em seu trabalho.

Loft do executivo, por Edgar Casagranda, arquiteto. Idealizado como morada temporária de um executivo que tem negócios na metrópole, o loft de 70 m2 é composto de tons escuros que lhe conferem um ar sofisticado. As paredes, por exemplo, levam pintura nas cores carvão e níquel, e o piso é de laminado nogueira cinza. No dormitório, o closet formado por nichos de alturas diferentes tem como fundo um painel de vidro onde figuram estampas da designer de superfícies Renata Rubim. Junto com os desenhos, o tapete listrado colorido garante o toque de descontração em meio à sobriedade do loft. As gavetas elétricas dos armários de mantimentos com laterais de vidro preto. Elas apresentam extensão total e sistema de abertura por toque, graças a sensores elétricos. Um detalhe que faz diferença na rotina do dia a dia, devido à facilidade em se encontrar os alimentos. Na área de estar, repare no prático design do armário-biblioteca. Ele recebe livros, peças decorativas e obras de arte, que ficam expostas ou não graças a nichos abertos e fechados.
Home office, por Agnes Manso e Alice Miglorancia, arquiteta e designer de interiores. Revestido de tijolos aparentes, que lembram a fachada das construções inglesas, o ambiente tem uma atmosfera funcional, descontraída e aconchegante. Em meio ao espaço, uma grande estante de MDF aproveita bem o pé-direito duplo e separa o escritório de um tipo de living, onde se destaca a bancada laqueada de laranja, que chega até a estação de trabalho. A irreverência fica por conta dos vasos de ponta-cabeça e dos pufes com rodízios que deslizam facilmente pelo carpete de PVC. Pinturas bem-humoradas do artista Gustavo Rosa são um deleite ao olhar. As aberturas nas laterais da estante permitem encaixar os dedos caso seja necessário subir para alcançar um objeto no topo. A porta pivotante, de quase 4 m de altura, que separa o escritório do living tem um lado revestido de laminado brilhante com desenho que imita a folha de um fichário, onde é possível escrever com caneta própria para lousa. Uma solução funcional e lúdica, que agrada também as crianças.


Floricultura, por Paulo Gazola, decorador. Com a proposta de criar uma atmosfera de brechó chique, o profissional escolheu mobiliário elegante para expor seus arranjos florais de composição singela e despretensiosa. Importantes peças do século 19, feitas na Indonésia, trazem um toque oriental sofisticado. Da mesma época datam o gabinete chinês e os espelhos franceses com molduras folheadas a ouro. A estante de ferro escovado e prateleiras de cristal tem desenho de Paulo Gazola e traze ainda mais glamour ao espaço, que contempla ainda vasos de vidro com rosas colombianas e cipós. Os micromosaicos de cerâmica dos vasos de vidro são feitos por adultos da Adere (Associação para o Desenvolvimento, Educação e Recuperação do Excepcional). Uma bela forma de ajudar quem precisa e enfeitar o espaço. A mesa central é uma bela peça do final do século 19, feita na Indonésia com madeira elmo. Muito resistente ao ataque de pragas, tem coloração avermelhada.

Fachada da casa de campo, por Katya Francisco e Lígia Cunha, arquitetas e designers de interiores. Em homenagem à cantora Paula Fernandes, as profissionais criaram um ambiente que instiga um hábito enraizado nos moradores de cidades do interior: papear na frente da casa. Para tanto, usaram recursos atraentes, como os móveis de plástico que, plugados na parede, se transformam em luminárias. Os canteiros são compostos de um patchwork de flores e ervas aromáticas. No centro, ficam as espécies coloridas e nas bordas, temperos como cebolinha, orégano e salsinha. “É um espaço para estimular os sentidos, ver, ouvir, sentir e manusear”, diz Lígia. O pórtico da fachada foi forrado de placa cimentícia feita de madeira mineralizada, constituída por fibra de madeira e cimento prensados. Leve e de fácil aplicação, é resistente à umidade e ao calor e tem grande durabilidade. Debaixo da forração vegetal, uma tela de plástico especialmente desenvolvida protege o gramado, fornecendo resistência ao pisoteio e até mesmo ao fluxo de veículos.

Adega, por Adriana Noya, arquiteta. Um lugar para brindar a vida foi o mote deste projeto, que prioriza a sustentabilidade e aposta em recursos que enaltecem as características dos bons vinhos. Para poupar energia, toda a iluminação é feita com LED: modelos maiores ficam embutidos no teto e os menores, como as fitas e as micros, nos rasgos e sobre as bancadas. Bambu prensado reveste o piso, e o mobiliário prioriza madeiras de reaproveitamento. Filetes de mármore preto emolduram o nicho iluminado. De aço inox, as adegas de última geração trabalham com compressor inteligente, que mantém a temperatura interna sempre estável. Um rasgo de 1,40 m x 45 cm na bancada de mármore calacata prata também faz às vezes de champanheira. Abastecido com pedras de gelo, ele mantém as garrafas frias. A mesa de jantar rústica tem tampo de 3,50 m de comprimento feito de um grande tronco de árvore encontrado caído em área de mata.
Home Theater da casa de campo, por Cristina Lopes, designer de interiores. Tirando partido de materiais rústicos, a designer de interiores projetou mobiliário de linhas contemporâneas, bastante funcional. Com madeira em estado bruto ela executou o grande móvel que abriga a TV e demais equipamentos de áudio e vídeo. Apesar da rusticidade da matéria-prima, repare na leveza visual da peça. Junto à mesa de jantar, a estante chama a atenção por sua modulação. Criativa, Cristina montou o móvel usando caixotes de madeira encontrados em feiras livres. Esmaltadas de preto brilhante, as caixas ganharam requinte e função mais nobre. Em todo o ambiente, a designer utilizou um piso monolítico de baixa porosidade e de fácil manutenção, na cor cinza. Mas para trazer mais aconchego na área da TV, o cobriu com um tapete de algodão da By Kamy. Um pilar de sustentação foi revestido com espelho e, a partir dele, foi criada uma estante com prateleiras de vidro. Elas acomodam livros e peças decorativas e na sua parte inferior, uma bandeja com bebidas e taças e duas caves.

Living da casa de campo, por Cristina Rocha, arquiteta Patricia Rocha, designer de interiores Rosana Andrade, arquiteta. No ambiente comprido e estreito, inspirado em uma luxuosa casa de fazenda, o trio de profissionais apostou num layout simétrico tanto para o mobiliário quanto para a arquitetura. O teto rebaixado destaca a parte central, revestida do mesmo papel da parede e de onde pende um suntuoso lustre de cristal. Um banco de linho divide as duas mesas Tatame Orgânica, de madeira rústica. Ao fundo fica o sofá com estrutura de madeira de demolição e forração de sarja. Sobre o piso vinílico que imita madeira, o tapete de náilon reforça as linhas retas da ambientação. Dois painéis de espelho norteiam a TV. São feitos com ripas de madeira sobrepostas e fazem uma releitura das famosas estampas xadrez da grife inglesa Burberry, seguindo um dos temas da mostra: a moda. Os vasos altos de cerâmica vietnamita pintada de preto acolhem as palmeiras licuala. Encostados nas paredes, eles não atrapalham a circulação e a visualização do espaço, e trazem o verde para dentro de casa.
Family room da casa de campo, por Daniela Francfort, arquiteta. Desenhado por Daniela, o móvel de MDF revestido de lâmina de madeira louro ao natural e com acabamento alto brilho tem várias alturas e se presta a diferentes funções. Na parte mais baixa ficam as gavetas. Um pouco acima, encontra-se o nicho que abriga equipamentos de áudio e vídeo. Mais ao alto, surge a mesa de trabalho e a peça termina com um módulo para livros. O desenho dinâmico da marcenaria faz contraponto com os rasgos lineares na parede de gesso. Um local contemporâneo, com as paredes pintadas de branco, e aconchegante devido à madeira. A escultura de aço corten fica sobre a lareira de quartzo com impressão a laser em 3D que imita croco. O revestimento alemão foi lançado na última feira de móvel em Milão. A peça é um dos grandes destaques do ambiente. Com 20 cm de profundidade, os rasgos da parede de gesso são iluminados por filetes de LED. Além de acomodar outras peças de decoração, a solução traz ainda mais sofisticação ao espaço dedicado ao convívio familiar.

Bar da piscina, por Carla Dichy, arquiteta. Acompanhando o tema da Casa Cor 2012, que vincula a moda à arquitetura e à decoração, Carla Dichy se inspirou no ícone do mundo fashion, a estilista Coco Chanel, e em sua imbatível dupla do preto e branco. Piso e parede foram revestidos do raro mármore travertino preto anticato. A cor se harmoniza com as outras escolhidas, como o cinza e o marrom claro. Para relaxar, a arquiteta escolheu um recamiê escultural da designer Mônica Cintra, executado com madeira bruta. Os pendentes, modelo Coral, do espanhol Arturo Alvarez, mesclam malha de aço e silicone e ficam sobre a bancada em alturas diferentes. Repare na textura rústica do mármore travertino preto anticato. Suas rajadas brancas irregulares formam um mosaico atraente e inusitado e conferem um desenho ainda mais interessante na parede e no piso.

Boulangerie, por Maithiá Guedes, arquiteta. Emprestando a atmosfera dos pequenos bistrôs franceses, o espaço é composto de mesinhas com tampos de pastilhas de chifre onde delicadas lareiras portáteis de aço preto aquecem o visual. Com a mesma pegada de aconchego, as paredes receberam painéis de madeira revestidos por placas cimentíceas. Arandelas e pendentes de metal e linho, criadas por Maithiá, intensificam a aura intimista do ambiente. Na área central, a estrutura de aço escuro suporta as grossas pranchas de madeira, que dão apoio aos réchauds do bufê. Atrás do balcão, as paredes são revestidas por pastilhas, de 5 x 5 cm, no tom camurça. Da Lepri, são feitas de cerâmica com outros materiais reaproveitados, portanto, ecologicamente corretas. Distribuídas pela ala central, as mesas baixas são feitas de madeira grigio, em tom cinza, um dos destaques da feira de Milão deste ano. As outras, mais altas, têm tampo espelhado e base feita de madeira laqueada também cinza.

Lounge Externo, por Catia Ferreira, arquiteta. Poltronas e pufes estampados convidam ao descanso. Com a ideia de trazer o clima descontraído de uma casa na praia ou no campo, mas sem perder o requinte, Catia investiu nas texturas, cores e materiais sustentáveis para compor o deque. “Um ambiente sinestésico para aguçar os sentidos. Texturas para o tato, lareiras aromatizadas e vegetação para o olfato, sons de piano e movimento da água para a audição, obras de arte e elementos marcantes para a visão”, pontua a arquiteta. O ambiente traz esculturas de artistas plásticos brasileiros. Para proteger os convidados do sol, o destaque é o tecido tensionado, mais resistente a intempéries, do toldo Cancun, um lançamento da Toldos Dias. Os decks ecológicos também sobressaem. O modelo da Santa Luzia mistura plástico reciclado e restos de madeira na composição. Outra característica positiva é a fácil montagem. As peças são soltas e encaixáveis uma a uma no próprio local.

Studio do pianista, por Denise Barreto, arquiteta. Os 160 m² do estúdio criado para o pianista assimilam todas as vontades do personagem principal. Além de primar pela acústica perfeita para as horas de ensaio, com forro de cortiça, cortinas pesadas e piso de couro, a estante irregular reserva espaço para a coleção de instrumentos musicais. A decoração atende ao perfil masculino com a proposta de manter a maior praticidade possível, integrando todos os ambientes e deixando a cozinha gourmet como o coração da casa. Tons terracota, marrons, beges e pretos marcam o local. Mais de 40 obras de arte decoram o espaço, sem contar as peças de mobiliário assinado e design contemporâneo de qualidade, como a poltrona Temes, da Lattoog, e a mesa de centro de mármore Armani, da Mont Blanc, assinada por Denise Barreto. Durante a visita, olhe para baixo e confira o tapete da linha Hemp, da By Kamy, que mistura diferentes fibras para criar desenhos art déco, e o piso de couro Torlys Smart Floor, da Sadi.
Sala do bem-estar, por Cristiane Schiavoni, arquiteta. Um refúgio para desestressar do corre-corre diário. Assim é o ambiente idealizado por Cristiane Schiavoni. Na banheira, com desenho assinado pela artista plástica Luísa Aguiar e abastecida de água quente pela torneira alta de piso, o corpo relaxa enquanto o olhar descansa apreciando as imagens da natureza projetadas na parede. Intercalando as placas cimentícias de 80 x 80 cm no piso, surgem esculturas embutidas sob placas de vidro do artista Spinosa. “A ideia foi criar um tapete em forma de obra de arte”, explica a autora do projeto. Elementos vazados de cimento colocados um a um formam um painel tridimensional na parede, proporcionando um interessante efeito óptico e dinâmico ao ambiente. A escultura amarela de aço-carbono laqueado de amarelo do artista Spinosa merece atenção. O belo desenho formado por curvaturas entrelaçadas revela a flexibilidade do material e oferece ainda mais encanto à sala do bem-estar.

Sala de almoço da casa de campo, por Syrlene Del Paulicchi, arquiteta. O partido adotado para a concepção do projeto aposta nos estilos clássico e contemporâneo. A tradicional mesa de jantar de madeira, ocupa toda a área central e recebe poltronas de madeira com assento de fibra natural e encosto estofado de veludo – além de bancos também no estilo clássico. O cenário é ainda formado por um bufê de laca brilhante amarela, um painel de fibra vegetal e quadros com estampas tropicais. O piso e o papel de parede vinílico garantem a fácil manutenção. Fora do ângulo da foto, uma malha de bambu que assume a função de luminária sobre a mesa. A trama fechada da peça proporciona iluminação de efeito. Veja como as modernas cadeiras Ghost, de Philippe Starck, se encaixam perfeitamente na mesa de refeição e formam um belo conjunto com as outras mais clássicas. Uma dupla de estilos que pode ser aproveitada em outros cantos da casa.




Banheiro feminino funcional - casa de campo, por Daniela Lobo e Priscila Iglesias, designers de interiores. Elementos da natureza garantem a harmonia e a sensação de bem-estar neste espaço de beleza singela. Aqui, figuram três jardins verticais instalados entre espelhos, repletos de samambaias, orquídeas e peperônias. Além de economizarem energia, pois são iluminados com LED, os jardins são irrigados por mangueiras ligadas a um sistema de automação que permite programar a quantidade de água e o tempo entre as regas. O piso é revestido de travertino bruto e seixos, que recobrem também as paredes. As cubas e as torneiras de piso parecem bicas de água e fazem uma reverência à natureza. Nas laterais, dois painéis com fotos de flores, feitas pelas profissionais, revelam detalhes que fogem do olhar apressado do dia a dia. O painel do jardim vertical é feito com tubos de pastas de dente descartados e placas de fibra de coco, onde são colocadas as plantas.






SERVIÇO
CASA COR 2012, CASA HOTEL E CASA TALENTO FASHION
Quando: De 29 de maio a 22 de julho
Onde: Jockey Club de São Paulo, Av. Lineu de Paula Machado, 1.173


Fonte: Casa Cláudia


2 comentários:

Manuella Silva disse...

Os produtos das Santa Luzia são maravilhosos! Coloquei em minha casa o rodapé MOD-457 e a guarnição MOD-456 e ficou lindo! Comprei tudo pela internet, inclusive os acessórios para instalação, no site www.cmarceneiro.com. br e fiquei muito satisfeita! Fica a dica para quem está procurando! Abçs.

Olívia Andrade Arquiteta disse...

Olá pessoal! Reformei minha casa e optei pelos rodapés da Santa Luzia, fiquei muito satisfeita com o resultado. Comprei tudo que precisava no site http://www.cmarceneiro.com.br/busca/rodap%C3%A9%20santa%20luzia, recebi super rápido e tudo perfeito! Minha casa ficou linda e eu estou muito feliz! Bjos.

Postar um comentário